MTV News: Flávio Basso, Urbana Legio e RPM

O melhor do dia hoje (22) foi a MTV. Teve Discografia com RPM, e Código com Jupiter Apple, não nessa ordem.
O programa dedicado a discos básicos, na véspera fôra com Legião Urbana Dois, e hoje, com Revoluções Por Minuto, traça um bom panorama do que mais me atraiu no Rock-BR dos 80. Acho que com a Revolta dos Dândis, fecharia a trilogia do meu gosto. Os álbuns saíram num momento efervescente, pois estava surgindo um “mercado” que antes não havia para dar vazão a uma demanda historicamente reprimida de escoamento cultural. Surgiam a revista Bizz, o programa Clip Clip na Globo… e espaços em programas tradicionais como Chacrinha, Fantástico… apresentando aos nativos um resumo do rock da moda e também do histórico, cantado em português sem legendas.
Renato Russo encarnou o poeta atormentado. Para o Brasil, ele veio a ser Morrissey, Jim Morrison… Na época, forçava mais o falsete na voz. O disco que deveria ser duplo e se chamar Mitologia e Intuição, capta a banda saindo do estado bruto da estréia, para uma sofisticação pouco mais acústica mas antes da amenizada estratégica de As Quatro Estações. “Eduardo e Mônica” vem cheia de referências culturais, uma cortesia constante do letrista Renato. Metrópole vem em versão diferente da original do Aborto Elétrico. Também da era punk foi adaptada a letra de “1977” virando “Tempo Perdido”, considerada por alguns plágio dos Smiths.
Paulo Ricardo, foi o sex symbol do rock local, e o tesão com que cantava foi mais um elemento na fórmula que tornava o RPM ultra-moderno, unindo teclados progressivos a uma pegada rock. O grupo hoje subestimado pelos roqueiros, é composto de músicos respeitáveis: Paulo Ricardo merece crédito nem que seja pelo slapping inicial de Olhar 43; e escreve poeticamente. Deluqui seguiu fazendo belos trabalhos como os solos de Simples de Coração, dos Engenheiros. Schiavon é um erudito, hoje arranjador de uma emissora global de TV. P. A. tem vários projetos paralelos roqueiros.
Quando ainda em ascensão, Paulo Ricardo e Renato Russo concederam entrevista conjunta à Bizz. Anos mais tarde, já nos 90, gravariam juntos uma versão de A Cruz e A Espada, já que Renato não recusava duetos, exemplos: Erasmo, Biquíni Cavadão etc.
Agora Jupiter Apple Maçã: com um semblante que “inspira cuidados” – algo de Jim Morrison, algo de Serguei… e cada vez mais louco no bom sentido de entregar ao mundo novas pílulas psicodélicas instantâneas… Que dizer de um cara que grita “Yes I am a genius” rebolando, após empolgados elogios por parte do apresentador Lobão ?
Entre as novas composições que ampliam o espectro de referências, ainda rolou Paint It Black, dos Stones.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s