Minuano sopra a favor dos blogs ;)

O Jornal Minuano deste final de semana traz matéria sobre blogs produzidos em Bagé, com alguns exemplos, e principalmente, algumas dicas que estimulam o uso da ferramenta e a criação da própria página. Mais uma demonstração da plena inserção do jornal, que completou 15 anos, na era digital. Há alguns anos, o Minuano disponibiliza em seu site todas as notícias da versão impressa – prática ousada que até hoje divide opiniões entre os periódicos mundiais, temerosos de queda nas vendas. Além disso, o Minuano ao estimular os blogs demonstra não percebê-los como “concorrentes”, até porque é notório que a grande fatia de leitores busca um atestado de credibilidade das informações na presença de uma marca de “pedigree” por trás, como o nome de um jornal ou de um colunista consagrado (Noblat, Kotscho etc.)
É de se esperar que os exemplos demonstrados pelo Minuano sirvam de pretexto para o aparecimento de novos blogueiros. A idéia de mostrar que qualquer um pode fazê-lo era uma das poucas certezas quando inauguramos o blog há mais de um ano. A motivação surgiu exatamente da independência quase total da manutenção da página, que remete ao lema punk “Do It Yourself” (Faça você mesmo), e a uma época em que um movimento musical (além de estético) foi deflagrado por pessoas que não sabiam tocar, mas tiveram iniciativa.
Um dos poucos requisitos, totalmente impessoal, é um servidor para alojar o blog. Particularmente, testamos antes o UOL (brasileiro) e ainda o Blogger, que pertence ao Google. Ambos são de fácil manuseio e indicáveis para o neófito. Optamos pelo WordPress devido ao perfil mais profissional no gerenciamento das informações, e maior riqueza de recursos. O Geocities do Yahoo, precursor em abrigar sites pessoais, foi desativado esse ano sintomaticamente, pois estava preso à já arcaica linguagem HTML quando os sítios atuais já nascem com aplicações para animação (como Flash), vídeo, áudio etc.
Um dos principais méritos do blog como ferramenta é a liberdade de expressão e a conseqüente democratização da informação. A ausência quase irrestrita de censura implica em responsabilidade, enquanto as legislações se adaptam em âmbito internacional para responsabilizar sem cercear.

Hoje em dia, as redes sociais como o Orkut, a preferida no Brasil, dão vazão para seus usuários revelarem insuspeitos talentos de repórteres, poetas e outras nuances, através, por exemplo, das sacadas que incluem em seu perfil, ou no modo como relatam fatos em álbuns de imagens. Em um blog, esse material ficaria disposto em ordem cronológica, reconstituindo uma realidade histórica, e pode ser acrescido de novas criações sem preocupação com limite de espaço. Também não há limite para a variedade das pautas – nada impede que alguém consagrado à cobertura de moda e estilo fale com desenvoltura de tecnologia…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s