Categoria: RPM e Paulo Ricardo

Paulo Ricardo responde minha pergunta

PR

Foi no chat do terra… mas conta, né? O moderador selecionou minha questão a Paulo Ricardo de Medeiros, ex-RPM. Paulo já trabalhou como jornalista musical, possível explicação da concisão de suas respostas; e também de seu ecletismo musical, que se reflete em sua obra: enquanto toca vários projetos díspares, seu último álbum privilegia a veia romântica; mas na temporada atual no Tom Brasil rolam muitos covers de rocks clássicos, como Bullet The Blue Sky (U2) e Roadhouse Blues (Doors), sempre em luxuosas companias. Confira trecho do pingue-pongue:

Marcelo, de Bagé/RS diz: Desde o RPM, Paulo sempre foi um antenado com as tendências do pop rock mundial e colocava seus elementos nas novas composições. Sendo assim, como definiria esteticamente suas próximas canções (tipo: brit pop melódico, rock funkeado etc.)?

R.:
P.R.: Marcelo, eu funciono por paixão, estou apaixonado por determinado gênero ou tendência e me aprofundo nisso. Para a última música que fiz, chamei o Andreas Kisser do Sepultura, é um rock pesado para um filme. Paralelamente, estou terminando um trabalho com Toquinho, estamos querendo renovar as canções maravilhosas do Vinicius de Moraes. Com roupagem moderna. Paralelo, estou fazendo um trabalho com um compositor americano com uns toques de World Music, mas com uma pegada pop. Essa nova produção tem um quê de Peter Gabriel, com algumas coisas dançantes. Gostei do último CD do Yeah, Yeah, Yeahs – há elementos dos anos 80 que está nas produções de hoje.

Entrevista na íntegra, com várias respostas:
http://chat.terra.com.br:9781/pauloricardo2009.htm